SAP revela sistema de pré-pagamento para mobilidade

A SAP apresentou ainda a actualização do conjunto de ferramentas de desenvolvimento de aplicações para iOS, no Mobile World Congress 2018.

sap

A SAP vai recorrer a um novo sistema de pré-pagamento de serviços da sua oferta de PaaS, a Cloud Platform, revelado esta segunda-feira no Mobile World Congress. Além do novo modelo comercial, a empresa apresentou a actualização do kit de desenvolvimento de software (SDK, sigla em inglês) para aplicações baseadas na sua tecnologia e o iOS, da Apple.

Com sistema de serviços pré-pagos a empresa quer tornar mais atraente a utilização da sua oferta de cloud computing. As acções individualizadas e medidas pelo novo sistema da SAP podem custar apenas cêntimos ou dólares para usar. Por exemplo, a utilização de uma API de mobilidade, com uma hora de tempo de computação.

Mas a SAP pretende que os clientes comprem “créditos para a cloud”, digamos 120 000 euros, pagos adiantamente. E que depois poderão empregar em serviços da SAP Cloud Platform desejados, dia a dia ou mês a mês ao longo de um ano.

Se na utilização os clientes excederem o que já pagaram, o serviço não lhes é cortado. A empresa apenas facturará o excesso de consumo.

Assim como em muitos contratos de comunicações móveis, os clientes podem obter os mesmos serviços por menos dinheiro (sem contar com a assinatura). Mas perderiam a flexibilidade oferecida pelo modelo pré-pago, argumenta o vice-presidente de marketing de produto da SAP, Dan Lahl.

Embora a SAP ofereça simuladores de custo para os modelos de preços no seu site, não há nenhuma maneira fácil de descobrir qual é o melhor para um cenário em particular. Potenciais clientes precisam de contactar o pessoal de vendas da SAP para uma simulação mais detalhada.

Entre os serviços disponíveis na SAP Cloud Platform estão os de capacidade de computação e armazenamento; analítica; ferramentas de aprendizagem automática e pacotes de API para S4 / HANA, Concur, SuccessFactors, entre outros.

Essas API e outras, agora são acessíveis a partir do SDK actualizado. “Estivemos a trabalhar com a Apple no SDK e a grande ideia é levar aplicações complexos a funcionar em dispositivos da Apple”, afirmou.

A SAP está a focar os seus esforços de mobilidade no iOS em vez de no Android, por haver “há uma percentagem muito maior de [dispositivos de] iOS com aplicações empresariais”, explica. “Mais de 50% do uso empresarial assenta no iOS”.

Já houve mais de cinco mil downloads do SDK, depois de a SAP disponibilizá-lo no final de Janeiro. Mas empresa acredita que tem mais utilizadores do que esses, porque muitas das grandes empresas terão descarregado o conjunto para servidores internos tencionando re-distribuí-los a partir destas máquinas.

.

Fonte (computerworld): http://bit.ly/2FXVWuZ

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a newsletter Ábaco EDGE!